Tá difícil, mas tem jeito:

das coisas que eu descobri numa depressão aos 25.


Dentre as milhões de coisas que não te contam sobre a depressão, acho que o que mais me surpreendeu é que essa coisa não te avisa quando chega. Eu pensava que só acontecia depois de grandes tragédias, perdas irremediáveis, desilusões avassaladoras, pensei por um tempo que tudo tinha começado quando minha cachorra foi eutanasiada ou quando minha tia morreu, pensei que alguns pontos daquele ano dificílimo de 2016 tinham desencadeado uma dor tão grande que eu tinha caído nesse precipício sem para-quedas. Bom, confesso que os acontecimentos impulsionaram a crise, é óbvio que ninguém fica bem diante dessas situações, mas hoje, eu sei que se eu tivesse saudável mentalmente, eu teria lidado com toda dor em potencial com um equilíbrio bem maior do que o que me era possível na época.


O fato é que a depressão vai se instalando sem dar muitos sinais: uma "tristezinha" ali, uma angustia aqui, quem é que não está mais ansioso que o normal nesse mundo caótico e cheio de informações entrando por todos os lados? Eu, como tantas pessoas, fui empurrando todas as minhas insatisfações pra debaixo do tapete. No fundo, eu sabia que as minhas emoções estavam se amontoando, que eu estava mais irritada do que o normal e que as frustrações diárias me batiam com mais peso do que realmente tinham. Qualquer palavra atravessada me cortava e tudo o que eu não conseguia falar (nem pra mim) se somatizava em expressões físicas, passei mais tempo com enxaqueca do que eu podia imaginar ser possível pra um ser humano, tive duas crises renais, uma de coluna, sem contar com sinais pequenos de estresse, isso tudo foi tratado de maneira independente, sem que eu tivesse consciência de que faziam parte de um mesmo quadro.


A depressão é uma doença invisível e por mais que você desenvolva alguns sintomas, como os que eu exemplifiquei, o diagnóstico não aparece nos exames de sangue. Você tem que se conhecer muito bem pra perceber que tem alguma coisa errada antes dela se instalar e te afogar no fluxo do que eu chamo de “pensamentos ruinzinhos”. Pra isso, é fundamental um acompanhamento psicológico e infelizmente, este tratamento não está comumente na nossa escala de prioridades médicas.


Outra coisa que não me contaram sobre estar deprimido é que você vai continuar tendo momentos felizes, você vai continuar rindo, saindo com seus amigos, se apaixonando, transando, trabalhando... até você não conseguir mais. Ela te observa, no canto do seu quarto e quando você dorme, quando você se fragiliza até que não haja mais defesas, então ela monta em cima de você e se instala como um pesadelo que parece não ter fim. E aí ninguém entende como você, com a vida mais ou menos encaminhada, no auge da sua juventude, com tantos amigos, tanta vida pela frente, caiu no que dizem ser a doença do século. Nem você entende, você se culpa, se cobra, se martiriza achando que não é grata o bastante e que muita gente tem a vida mais difícil e segue firme. São mil e um questionamentos até a aceitação de que isso é uma doença e ninguém pede pra ficar doente, ninguém quer isso pra si.


No meu caso, a depressão veio de mãos dadas com crises infinitas de ansiedade. Sabe quando você tem uma prova muito importante e dá aquela dorzinha de barriga ou quando você finalmente se declarou pro crush e ele acabou de ver a mensagem? Isso é ansiedade boa. Crise de ansiedade é você querer morrer, porque talvez assim você se sinta menos pressionado. E quando eu digo pressão, não é uma pressão metafórica, é algo como trinta caminhões engatando a primeira e a ré repetidas vezes por cima do seu peito. É quando a sua cabeça pensa tão rápido, tão rápido, que você não consegue acompanhar e de repente você só escuta zumbidos e quando você vai ver, você está às 4 da manhã com os olhos vidrados no seu ventilador, porque você precisa se concentrar em algum padrão pra não surtar. Crise de ansiedade é você saber que a sua garganta não está fechando, mas mesmo assim você meter os dedos 3,4,5 vezes pra conferir se as paredes da sua faringe não estão grudando porque você não consegue respirar e essa é a única explicação coerente. Crise de ansiedade é você vomitar tudo o que você comeu durante o dia porque você enfiou o dedo na sua garganta 3,4,5 vezes e ficar mais sem ar ainda e achar que vai desmaiar no banheiro sozinha em casa. É isso tudo isso sem vírgula, sem ponto, sem pausa. Eu pontuei pra ficar mais fácil, mais compreensível, menos claustrofóbico. Crise de ansiedade, é estar preso no seu próprio corpo. E como é que sai do próprio corpo?


Não me contaram também - e não contam pra ninguém - que apesar de vocês sentir toda a solidão do mundo nas suas costas, você não tá sozinho. Um bando de gente tenta desapropriar o teu discurso e a tua dor, mas a depressão avança em larga escala e o suicídio já é epidemico. Tem um bando de gente fodida emocionalmente tentando descobrir alguma função nesse mundo, isso não é uma vergonha, muitas pessoas passam pelo que eu passei e como o tratamento é longo e contínuo, ainda passo. Encontrar refúgio e identificação, entender como cada um consegue superar essa fase escurinha é também um dos caminhos pra se reencontrar. Setembro passou e não vale discutir o tema só em um mês, a conscientização e a informação pode livrar muitas pessoas das peças que essa doença prega e acreditem, são muitas. O tratamento psicológico e quando necessário, o psiquiátrico, com medicações e tratamentos, é super importante e não deve ser uma coisa que se faz escondida. Não há mal nenhum em demonstrar fragilidade, não há mal em pedir ajuda quando necessário e bom, nesse caso, é MUITO necessário.


Por fim, a coisa mais importante que eu descobri nessa minha luta é que a empatia é uma qualidade preciosa. Eu aprendi a olhar mais para o lado, só pelo simples fato de sentir falta de pessoas ao meu redor que prestassem um pouco mais de atenção e me mandassem um simples “oi, você tá bem?”. Os sinais da depressão existem, são tímidos, mas existem, principalmente quando a doença está mais avançada. Uma frase solta, um sumiço “sem motivo”, a gente percebe quando alguém tá precisando de ajuda se a gente quiser perceber. O mundo é feito em conjunto, existimos porque o outro existe e se você não se reconhece nesse texto, pode reconhecer alguém. Converse, dê carinho, um ouvido. Isso muda tudo. E pra você que se reconhece, procure ajuda. Não é sobre alguém precisar de você no mundo, é sobre você precisar estar nele pra viver os baixos e os altos que a vida te reservar.


Maria Mangeth

  • Logotipo Facebook
  • Logotipo do YouTube
  • Logotipo do Pinterest
  • Logotipo do Instagram