Bióloga transforma em arte lixo que encontra nas praias




"O lixo é falta de criatividade”, essa é uma das premissas da bióloga portuguesa Ana Pêgo, criadora do projeto Plasticus Maritimus - e tema da coluna "Feito por elas" de hoje. Desde dezembro de 2015, a pesquisadora transforma os restos de plástico que garimpa nas praias de Cascais, em obras que evidenciam suas formas, cores e tamanhos. O objetivo? Promover a conscientização ambiental na região onde cresceu e vive até hoje.


O projeto, que é ancorado em uma página de Facebook, virou um verdadeiro museu dedicado a reunir a coleção de fauna e lixo que Ana recolheu durante anos - e que muitas vezes são usadas para formar montagens lúdicas que ressaltam a contaminação de nossos mares e praias.





O esqueleto de baleia de 10 metros de comprimento foi construído em parceria com o fotógrafo Luís Quinta, usando 250 peças plásticas encontradas na orla costeira de Almada e Cascais – e seu sucesso é um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento do Plasticus Maritimus, impulsionando a pesquisa da bióloga na direção do lixo marinho e evidenciando o valor da arte como ferramenta de conscientização.


Leia a matéria completa em: https://casavogue.globo.com/LazerCultura/Arte/noticia/2018/01/biologa-transforma-em-arte-lixo-que-encontra-nas-praias.html



  • Logotipo Facebook
  • Logotipo do YouTube
  • Logotipo do Pinterest
  • Logotipo do Instagram